Mostrando postagens com marcador Reflexão. Merecimento. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Reflexão. Merecimento. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Merecimento ou Cobrança


O ponto mais importante e fundamental até, é termos consciência de que somos nós que criamos nossas facilidades e nossas adversidades. SEMPRE A DECISÃO ESTÁ EM NOSSAS MÃOS. O mais comum é, nas dificuldades, responsabilizarmos terceiros pela decisão que tivemos que tomar. Os terceiros podem ser pessoas ou grupos. Não importa se é convenção social, familiar ou religiosa. Em tudo de ruim que acontece comigo busco um responsável. Nunca sou eu. Quando as coisas acontecem em desacordo ao que quero, sou -literalmente-, a vítima de alguma circunstância.

É sempre mais fácil responsabilizar alguém pelo que acontece de ruim comigo. Esta atitude parece diminuir a responsabilidade de que sou o que faço e até mesmo que aceito que façam comigo. Precisamos nos dar conta desta verdade e deixarmos de responsabilizar quem não tem o poder de decidir por nós.

Somos essências, almas, espíritos (use o termo que achar mais conveniente) em processo de evolução e aprendizado e, portanto, passíveis de falhas, equívocos e erros. Falho quando não presto atenção ao que executo. Equivoco-me quando não avalio o Todo, e erro quando sei que não devo fazer, mas insisto e faço.

Assim sendo, nas três fases, EU DECIDI SEGUIR EM FRENTE. Não foi este ou aquele super poderoso que me influenciou. EU FIZ, portanto, eu colho. Por mais amor que o outro tenha por mim, jamais irá passar por aquilo que EU TENHO QUE PASSAR.

Portanto, raras vezes as atitudes positivas em nossas vidas dependem da sorte. Na realidade, a sorte se dá quando oportunidade e merecimento chegam juntos e se confundem em um ato único. O mesmo vale para o azar. Para entender o que é azar, basta inverter a energia da sorte. Azar é não prestar atenção no que se faz; é falha, equívoco ou erro.

Assim, acabamos entendendo que somos, efetivamente, agora, neste momento, consequência de nossas decisões tomadas até um segundo atrás. Logo, se pretendemos mudar, temos que analisar as colheitas atuais e TOMARMOS NOVAS E FRUTIFERAS DECISÕES. Se você plantar repolhos jamais irá colher cerejas.

Se você propagar fofocas, desavenças, críticas, jamais irá colher dias alegres em seu futuro. No máximo, terá segundos tranqüilos, mas pouquíssimos ou nenhum dia feliz. Esta é a regra. Este é o leme de nossas vidas.
Por conseguinte, sou merecimento e cobrança. Tudo vai depender de mim e de minhas atitudes. Colho o que planto.